Desafio 30 dias Invertido e Mais Feliz

Oi oi gente, tudo bem? O papo de hoje é sobre beleza sem estereótipo. No dia 02 de Julho, a americana de 26 anos, Jolene Nicole Jones, postou uma montagem do seu antes e depois, invertendo a lógica do fisioculturismo e alegando estar mais feliz do que nunca com seu novo estilo de vida “body lover” (amante do corpo).

Honestamente, eu achei o MÁXIMO! A gente se esforça tanto para nos desafiarmos e atingirmos o corpo “perfeito” que por muitas vezes esquecemos que amar a si próprio não é só uma questão de perder peso e entrar naquela velha calça jeans. A verdade é que apesar de diariamente sermos bombardeados por padrões absurdos de beleza, estereótipos e paradigmas desleais, hoje encontramos facilmente muitas pessoas que, como a Jolene, atravessaram por um processo de transformação do seu corpo à níveis extremos e, por trás de fotos perfeitas com seus corpos esculturais, relatam que eram infelizes. Quase sempre o que se encontra é uma história de frustração, muita ansiedade, autoestima baixa e riscos perigosos à saúde física e mental – tudo o que as mídias não gostam de revelar, né mesmo?

Leia também: Padrão de Beleza Não Me Representa!

Então já que defendemos a bandeira do DESAFIO 30 DIAS para uma mudança de hábito e aceitação, apoiamos e reforçamos que a mudança pode e deve ser inversa sim, se assim necessário, para uma vida mais feliz e tranquila! Se as privações forem grandes demais, não vai ter saúde e nem momentos prazerosos para relembrar (o que sempre envolvem confraternizações com boa comida, bebida, amigos e família). Então, bora marcar o Happy Hour sem culpa?

Na segunda montagem de fotos, Jolene mostrou as diferenças do seu corpo e postou a seguinte legenda que serve de inspiração para quem sofre com a crise do corpo perfeito:

De fisiculturista para apaixonada pelo corpo. Essa não é a típica foto de transformação. Eu mudei de ser uma pessoa controlada pelo meu penoso regime de ginástica e pesar o frango e andar com shakes de proteína na minha bolsa para passar a desfrutar completamente de uma vida social. Algumas pessoas podem dizer que isso é “deixar de se cuidar”, mas não é possível colocar um preço na felicidade. Eu chamo isso de me encontrar e entender que posso ter mais de uma paixão na vida, seja caminhar pelo Glacier Park, seja tomar uma cerveja com meus amigos. Um abdômen tanquinho não me fazia feliz. Nunca era o suficiente e eu sempre tinha de melhorar. Hoje eu vou fazer raft com meus amigos e desfruto de comidas que meu velho corpo teria salivado mas não teria coragem de tocar. Seu corpo é quase que literalmente a única coisa que você carrega por essa vida, seu valor e alegria não são medidos por quanto você consegue levantar ou pelo que diz a balança. Meu valor é medido pelas pessoas q minha volta e pelo sorriso no meu rosto”.

© fotos: Facebook Jolene Nicole Jones  | Fonte: DailyMail UK

Gostou do post? Deixa um comentário pra gente saber e até a próxima! 😉

 

4 thoughts on “Desafio 30 dias Invertido e Mais Feliz

    • Ágatha Alves Prudêncio says:

      Que maravilha Fe! Obrigada pelo feedback. A gente acaba na onda e não percebe que o “livre, leve e solto” pode ser melhor ainda!

  1. Adriana osorio says:

    Primeira vez no blog, adorei o post! Passei minha vida de dieta me achando gorda! Aos 30 anos tive um AVC por causa da pílula anticoncepcional, foi um marco na minha vida! A partir dali eu me senti livre pra fazer e desfrutar tudo de lindo que a vida me traz! É claro que em função da saúde de meu corpo eu cuido o que como, mas no final de semana eu curto sem culpas! Procuro manter meu corpo são e me sentir linda sem me preocupar com padrões! O que o que importa mesmo é ser feliz! Bjos 😘😘😘

    • Ágatha Alves Prudêncio says:

      Puxa, que demais tua história Adri! Fico feliz que tenha gostado e te identificado com o assunto…
      Muita gente tem dificuldade de entender que padrão não significa felicidade. Assim como muitas pessoas acreditam que mudar de hábito esteja totalmente atrelado a EMAGRECER. Errado! Mudar de hábito é mudar de pensamento. É deixar o que faz mal para trás. É evoluir e se sentir bem com isso…grata pela contribuição! Beijoca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *