A Felicidade, afinal, está em Ter ou Ser?

Uma coisa é ambição, outra coisa é ganância. Em uma era em que a expressão “Quem não tem Cão, caça com gato” faz todo o sentido para as pessoas que querem crescer traiçoeiramente e se esgueirando por meio de uma sociedade politicamente e economicamente injusta, cheia de corrupção, a ganância toma conta de muitos corações causando sérios danos para si e ao próximo.

A palavra ganância por si define o desejo de querer ganhar, adquirir algo e sobressair-se custe o que custar. Diferentemente da ambição, que por mais que soe negativamente para algumas pessoas, esta traz um significado importante para aqueles que, positivamente, anseiam alcançar determinados objetivos. É preciso ser ambicioso e ter visão para ir atrás dos sonhos, desde que durante  esta caminhada a ganância não tome conta do propósito e mude completamente o rumo das ações. 
 
 

Estamos vivendo um momento de grande insegurança e conflitos no mundo inteiro! Recentemente, foi mostrado em jornais e na televisão a notícia de que uma família composta por pai, mãe e dois filhos foi encontrada morta em condomínio na Barra da Tijuca, no RJ. A maior suspeita até o momento é de que o marido, um empresário de 43 anos, tenha cometido o crime devido a problemas financeiros (saiba mais), o que chocou muitas pessoas, principalmente familiares e amigos das vítimas. Como pode, em uma época em que todos os cidadãos brasileiros estão sofrendo o “penault” da crise política e econômica, uma família acabar em um final tão trágico por conta da falta de dinheiro? Tantos viventes aprendendo a se virar, empreendendo, perdendo tudo e começando do zero, adaptando-se a novas condições e estilos de vida aqui ou em outros lugares do mundo. Por que a ganância e o medo podem interferir no psicológico a ponto de chegar em um final trágico? Parece óbvio que, além de problemas psicológicos, a ambição deste homem por uma vida plena e confortável se transformou em uma ganância por não perder o que já possuía, além do medo de não conseguir conquistar outros objetivos no futuro, custe o que custar. Daí surge a questão: A felicidade, afinal, está em ter ou ser?Esta pergunta é comum nas conversas entre amigos, familiares e no ambiente profissional, e quando o assunto é esse, acredite: muitas pessoas inclinam-se para ambos os lados. Há quem se contente em “ser”, e este grupo acredita que “sendo” o ser humano aproveita mais os momentos da vida, na simplicidade de pequenas conquistas diárias, bons relacionamentos e dinheiro suficiente para viver, sem se preocupar com o luxo e ostentação. Outras, por outro lado, acreditam que o “ter” é o caminho para o status “ser”, uma vez que é necessário possuir bens e recursos para conseguir manter-se satisfeito, realizado e psicologicamente saudável. Este grupo de pessoas que tendem mais  para o lado “ter” afirmam que as conquistas materiais e o dinheiro no bolso são o caminho para realizarem seus sonhos, tornarem-se pessoas melhores e ajudarem ao próximo, o que não deixa de estar certo por um lado. Mas voltando ao caso da família, mencionado acima, será mesmo que o “ter” é o caminho para o “ser”? Vemos muitos casos de pessoas correndo atrás de dinheiro e de sucesso a vida inteira, fingindo não verem as consequências de sua ambição transformada em ganância, o que reflete diretamente na família, nos relacionamentos e na vida profissional. Alguns exemplos de ambição e visão de negócios são válidos no lado “ser” da força, mas nem tudo que se conquista “sendo”, se encontra “tendo” e toda a ajuda ao próxima pode ser realizada também através de bons gestos, e não somente através do material ou financeiro.Neste quesito, não existe certo e errado e aproveitamos a conversa para compartilhar um pouquinho da visão e experiência de uma de nossas leitoras, a Fe, que atualmente busca manter um novo estilo de vida tanto para ela, quanto para as pessoas ao seu redor. Confere aí:

 

“Nada acontece por acaso”, e não foi o acaso que me trouxe aqui hoje, a convite da querida Ágatha, que a vida durante tempos nos afastou e como num sopro nos reaproximou. E o que nos reaproximou foi exatamente as semelhanças nas ideias, como irá aproximar tu, leitor desse texto, a esse blog. Tento resumir aqui (um trabalho quase impossível para mim) qual foi a maior mudança de foco da minha vida: a descoberta definitiva que o SER não é somente mais importante que o TER, mas é o essencial para se ter uma vida digna e feliz. Na minha profissão, ostentar é praxe. Ser bem sucedido não significa tu ser feliz, mas sim TER, no mais amplo significado financeiro que essa palavra pode ter. E aí a corrida dos ratos inicia: o labor diário focado em trocar dinheiro por bens, apenas. Eu, uma guria do interior, assistindo a isso tudo, não conseguia encaixar o conceito da minha felicidade ali. Foi então que comecei a refletir e a moldar o meu próprio modo de vida, o que foi fundamental para que eu escolhesse empreender no meu próprio escritório. A palavra que me guia hoje é LIBERDADE, seguida de FELICIDADE. Para tomar qualquer decisão, das mais complexas até as mais simplórias, tomo como base a seguinte pergunta: isso vai me deixar feliz, tranquila e livre? Se a resposta é sim, vou em frente, senão, descarto delicadamente. Não é fácil desapegar de um modelo de vida ensinado como certo… Ou até mesmo intrínseco à nossa vida, mas no momento que tu entende que somos seres únicos, perfeitos, e que nenhuma pessoa precisa ser igual a outra, tu ganha liberdade e uma porta de entrada para a felicidade plena e eterna. E aí tu enxerga, na tua frente, que correr atrás para SER (feliz, realizado, independente…pausa para preencher aqui com o que tu quiser) é bem mais pleno do que TER (casa, carro, coisas, pessoas…também preencha aqui com o que você quiser). Eu precisaria de bem mais linhas para discorrer sobre o assunto, mas quem sabe um dia, eu a Ágatha e todos os leitores desse blog nos encontramos para um bate papo real, não é mesmo? Fica a ideia!”

 

Adoramos a ideia Fe, e o que o Agenda Cheia propõe aqui é exatamente isso: despertar o potencial de reflexão, discussão e pensamento de cada leitor em relação a maneira como estão conduzindo suas vidas em busca dos sonhos. A felicidade, afinal, está em ter ou ser para você? Pausa para refletir e bom final de semana! 🙂

 
Texto e Edição: Ágatha Prudêncio 
Participação: Fernanda Medeiros
Imagem: Reprodução – Pinterest.

One thought on “A Felicidade, afinal, está em Ter ou Ser?

  1. Jamesfus says:

    Do you feel like you have tried everything possible in order to lose weight? You are not alone–many people have the same problem. The following article is designed to give you tips that you may not have even known existed. By following these tips, you will reach your weight loss goal in no time.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *